Câncer de Ovário

Tudo Sobre Câncer de Ovário

Se você tem câncer de ovário ou possui alguém próximo com, saber o que esperar pode ajudá-lo a lidar com a doença. Aqui você pode descobrir tudo sobre o câncer de ovário, incluindo fatores de risco, sintomas, como é diagnosticado e como pode ser tratado.

O Que é Câncer de Ovário?

Entre todos os tipos de cânceres em mulheres, o câncer de ovário é o que tem a taxa de sobrevivência mais baixa. Sendo diagnosticado anualmente em quase 250.000 mulheres em todo o mundo, o câncer de ovário é responsável por 140.000 óbitos por ano. Os dados estatísticos indicam que apenas 45% das mulheres com câncer de ovário têm probabilidades de sobreviver por cinco anos, em comparação com 89% das mulheres com câncer de mama.

As nações desenvolvidas e em desenvolvimento são igualmente afetadas por essa doença. Os sintomas são, muitas vezes, erradamente diagnosticados, dado que podem ser confundidos com sintomas de outras doenças menos graves, especialmente enfermidades gastrintestinais.

Ovários sadios

Câncer de ovário localizado

Câncer de ovário com metastático

Tipos de Câncer de Ovário

Antigamente acreditava-se que os cânceres ovarianos começavam apenas nos ovários, mas evidências recentes sugerem que muitos tipos de câncer de ovário podem realmente começar nas células na extremidade das trompas de falópio.

Os ovários são compostos principalmente por 3 tipos de células. Cada tipo de célula pode se desenvolver em um tipo diferente de tumor:

  • Tumores Epiteliais: começam a partir das células que cobrem a superfície externa do ovário. A maioria dos tumores ovarianos são de células epiteliais;
  • Tumores de Células Germinativas: começam a partir das células que produzem os óvulos;
  • Tumores Estromais: começam a partir de células que formam o ovário e que produzem os hormônios femininos (estrogênio e progesterona).

Alguns destes tumores são benignos (não-cancerosos) e nunca se espalham para além do ovário. Tumores ovarianos malignos (cancerígenos) ou limítrofes (baixo potencial maligno) podem se espalhar (metastatizar) para outras partes do corpo e podem ser fatais.

Estágios do Câncer de Ovário

A maioria das pacientes apenas são identificadas nas fases avançadas da doença, quando o seu tratamento é mais difícil e o estágio da doença está avançado.

Com difícil diagnóstico, o câncer de ovário não possui uma causa aparente e pode se manifestar em qualquer idade, mas atinge principalmente mulheres acima de 50 anos. Apesar da elevada taxa de letalidade, há diversas formas de tratamento para a doença. A escolha do tratamento vai depender do estágio da doença, da idade da paciente, tipo de tumor e do estadiamento.

E quais são os estágios da doença? Em geral, a doença se divide em quatro estágios:

  • Estágio 1: o câncer é encontrado em um ou ambos os ovários;
  • Estágio 2: o câncer se espalhou para outras partes da pelve;
  • Estágio 3: o câncer se espalhou para o abdômen e se estende para o peritôneo, além da pelve, ou apresenta metástases em linfonodos;
  • Estágio 4: o câncer é encontrado fora do abdômen, como no fígado.

Metástase do Câncer de Ovário

A pior complicação do câncer de ovário é a metástase, que ocorre por conta da demora no diagnóstico e por ser uma doença pouco sintomática no estágio mais precoce.

A metástase é a dispersão do câncer de um órgão para outros, quando as células cancerígenas vão do tumor primário para a corrente sanguínea ou para o sistema linfático, se alojando e desenvolvendo um novo tumor em outros órgãos.

O estadiamento do câncer de ovário, meio de classificar o grau de extensão do tumor, é feito com base no que é encontrado na cirurgia de ressecção do ovário, a não ser que estejam presentes metástases à distância (espalhando para outros órgãos), quando são observadas em exames de imagem.

Geralmente quando ocorre a metástase, o câncer pode ser tratado com quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal, biológica, cirurgia, criocirurgia (método cirúrgico que utiliza gases em baixas temperaturas), ou uma combinação destes tratamentos. Isso vai depender do tipo de câncer, das condições de saúde do paciente, tipos de tratamento pelos quais já passou, além do tamanho e localização da metástase.

Causas e Fatores de Risco

Existe um determinado número de fatores que aumentam o risco de a mulher desenvolver câncer de ovário.

Não há nenhum teste simples ou de rotina para descobrir o câncer de ovário com precisão. Não existem testes de detecção precisos e seguros para o câncer de ovário, mas existe um número de fatores que aumentam o risco de a mulher desenvolver o câncer de ovário:

  • Idade: A maioria dos casos de câncer de ovário ocorre em mulheres com mais de 55 anos, dado que chegaram à menopausa. Todavia, alguns tipos de câncer de ovário podem aparecer em mulheres jovens;
  • Genética: O risco também aumenta quando a pessoa é portadora de anormalidades nos genes BRCA1 ou BRCA2 (genes que ajudam a reparar os danos nas células);
  • Antecedentes Familiares: As mulheres para quem é maior o risco (relativamente à população geral) de desenvolverem câncer de ovário são as que têm dois ou mais parentes que tiveram câncer de ovário, da mama, do cólon ou do útero, quer seja do lado paterno ou materno da família. Muitas vezes, os sintomas do câncer de ovário podem ser confundidos com outros problemas menos graves, tais como as enfermidades gastrintestinais;
  • Outros Fatores: O risco de desenvolver câncer de ovário é maior nas mulheres que não tiveram filhos, que nunca tomaram a pílula anticoncepcional, que iniciaram o período menstrual muito cedo ou cuja menopausa começou mais tarde do que a média. Para as mulheres que já tiveram endometriose é mais provável desenvolverem câncer de ovário.

Cerca de 15% dos casos de câncer de ovário têm antecedentes familiares. Isso significa ter laços de sangue estreitos (mãe, irmã, filha, avó, neta, tia ou sobrinha), quer seja no lado materno ou paterno da família, com alguém que tenha tido câncer da mama antes dos 50 anos de idade ou câncer de ovário em qualquer idade. Para mulheres sem antecedentes familiares, o maior fator de risco é a idade.
É importante falar com o médico para saber qual poderá ser seu risco pessoal.

Se você tiver antecedentes familiares de pessoas com câncer de mama ou de ovário, conforme indicado acima, sugerimos para procurar aconselhamento genético.

Na verdade, segundo o modo de pensar atual, qualquer mulher com câncer de ovário também deve procurar aconselhamento genético como sendo um passo importante para ela e para os membros de sua família. Para obter mais informações, pergunte ao seu médico sobre os serviços disponíveis na sua área ou contate a organização contra o câncer na sua região.

Prevenção do Câncer de Ovário

Adotar alguns hábitos em seu cotidiano pode ser a saída para se prevenir do câncer de ovário. Se você está preocupada com o risco de câncer de ovário, fale com seu médico. Ele pode ajudá-la a considerar opções conforme se aplicam à sua situação.

Para diminuir as chances de desenvolver a doença, você pode adotar certos hábitos em seu cotidiano. Veja, a seguir, algumas formas de prevenção:

  • Gravidez: Mulheres que têm filhos estão menos propensas a ter câncer de ovário em relação às que não geraram. Em fase de amamentação, as chances de desenvolver a doença são ainda menores, já que amamentar retarda a ovulação e, consequentemente, diminui o nível de hormônios no organismo. De acordo com especialistas, quanto maior o número de ovulações, maior o risco do aparecimento de tumores;
  • Pílulas Anticoncepcionais: O uso de pílulas anticoncepcionais diminui o risco de câncer de ovário. Mulheres que tomam a pílula têm um risco diminuído em 50%, se comparadas às mulheres que nunca usaram contraceptivos orais;
  • Ligadura de Trompas: Em alguns casos, uma das recomendações dos médicos é o ligamento das trompas. Caso você precise fazer uma histerectomia por razões médicas ou tenha um forte histórico familiar, deve considerar esse procedimento;
  • Dieta: O excesso de peso acaba aumentando os riscos de câncer. Por isso, é recomendado manter uma alimentação mais saudável para diminuir os riscos de desenvolvimento da doença;
  • Exame BRCA: Como foi dito anteriormente, os genes BRCA 1 e BRCA 2 podem aumentar as chances de desenvolver o câncer. Esse exame identifica mutações nos genes BRCA 1 e BRCA 2, que são importantes marcadores de predisposição para o desenvolvimento da doença.

Lembre-se: o câncer de ovário é uma doença silenciosa, por isso, quanto antes for definido o diagnóstico, maiores as chances de reversão do quadro. Consulte seu médico, siga as dicas e proteja-se contra o câncer.

Fontes

Câncer de Ovário